FFFCMPA – Disciplina de  Bioquímica – Profa. Ana Maria Azevedo

Mapas Conceituais

 

Os mapas conceituais foram desenvolvidos por Joseph Novak e colaboradores, na década de 70, como uma ferramenta para organizar e representar conhecimento. Baseados na teoria da aprendizagem significativa de David Ausubel, constituem um esquema gráfico de representação de um conjunto de conceitos de qualquer domínio, dispostos de forma a evidenciar suas relações. Os conceitos aparecem como nós de um esquema gráfico (dispostos em caixas). As relações entre estes conceitos são descritas por frases de ligação (proposições unificadoras), nos arcos, ou links, que os unem. Os mapas conceituais representam uma estrutura que vai desde os conceitos mais abrangentes até os menos inclusivos. Podem ser utilizados para auxiliar a ordenação e a seqüenciação hierarquizada dos conteúdos, de forma a permitir a organização de conhecimentos e facilitar a compreensão dos conceitos.

A construção de um mapa conceitual possibilita desenvolver um processo cognitivo de aprendizagem em que o aluno organiza o seu conhecimento de forma autônoma, identificando a aquisição de novas informações, que serão integradas ao seu próprio conhecimento anterior. Como ferramenta de aprendizagem, é útil ao estudante, por exemplo, para fazer anotações, resolver problemas, planejar o estudo e/ou a redação de grandes relatórios, preparar-se para avaliações e identificar a integração dos tópicos. Para os professores, os mapas conceituais podem ajudar a: tornar claro os conceitos difíceis, organizados em uma ordem sistemática; manter os alunos mais atentos aos conceitos chaves e às relações entre eles; propor uma imagem geral e integrada dos tópicos e suas relações para seus estudantes; reforçar a compreensão e aprendizagem por parte dos alunos; permitir a visualização dos conceitos chave e resumir suas inter-relações; verificar a aprendizagem e identificar conceitos mal compreendidos pelos alunos; avaliar o processo de ensino; possibilitar a avaliação do alcance dos objetivos pelos alunos através da identificação dos conceitos mal entendidos e dos que estão faltando; integrar uma ferramenta cognitiva ao processo de ensino-aprendizagem, desde as atividades de análise de currículo, até a produção de sistemas virtuais, em avaliação e pesquisas em monitoramento dos processos educacionais.

O software IHMC Concept Mapping possibilita a construção, navegação, compartilhamento de modelos de representação do conhecimento como Mapas Conceituais. Este conjunto de ferramenta é uma plataforma independente e disponível na internet, permitindo aos usuários a construir individualmente ou colaborar durante a construção do mapa conceitual com colegas que se encontram em outras localidades. O referido programa é um software livre que pode ser baixado na internet pelo endereço http://cmap.coginst.uwf.edu. Mapas conceituais podem, também, serem construídos com uso de programas menos sofisticados ou até mesmo com papel e lápis. A Figura 1 mostra um exemplo de mapa conceitual construído no CMap Tool, que trata do conceito e uso do mapa conceitual como representação do conhecimento. Na figura abaixo, tem-se um exemplo de mapa conceitual sobre o conceito e uso do mapa como representação do conhecimento.